Entrar | Registar

Kit de Sobrevivência

Kit de Sobrevivência

Kit de Sobrevivência

Bem-vindo a Lisboa, a capital de Portugal! Uma cidade com uma luz única que não o deixará indiferente e que pertence a um país carregado de História e de encanto! Temos a certeza que será bem recebido pelos portugueses, um povo extremamente hospitaleiro, amável e simpático. Sabia que Portugal é o Estado-Nação mais antigo da Europa? Prepare-se para grandes museus, vistas únicas, compras fantásticas e excelente comida. Esta será uma viagem inesquecível.

Chegar a Lisboa

De avião. Lisboa dispõe de ligações aéreas com as principais cidades do mundo. O Aeroporto Internacional da Portela fica a 7km do centro da cidade. Para chegar ao centro pode utilizar os autocarros da Carris (com uma tarifa de 1,40€/viagem), o Metro de Lisboa (bilhetes de 1h por 1,40€), o sistema de táxis (cujo custo é de aproximadamente 10€-15€, podendo ainda optar pelo Táxi Voucher, um serviço pré-pago de transporte de táxi) ou o shuttle da Carristur (por 3,50€).

De comboio. Lisboa tem várias estações de comboio com ligações nacionais (Gare do Oriente, Entrecampos, Rossio e Cais do Sodré) e internacionais (Gare do Oriente e Santa Apolónia). Em todas elas existem conexões com autocarros e/ou estações de metro e ainda táxis que o poderão levar a qualquer parte da cidade.

De barco. Em Lisboa existem cinco marinas que recebem barcos privados e oferecem ancoradouro (Bom Sucesso, Belém, Santo Amaro, Alcântara e Olivais) e ainda três portos onde atracam os barcos de cruzeiro internacionais (Alcântara, Rocha do Conde de Óbidos e Santa Apolónia).

Lisboa Cool | Kit de Sobrevivência

De um lado para o outro na cidade

Metro. Lisboa tem quatro linhas de metro e em todas as estações existem máquinas onde pode comprar o seu bilhete. Pode optar por bilhetes únicos (1,40€/viagem com duração de uma hora após a primeira validação) ou pode optar pelo cartão recarregável (que tem um custo de 0,50€) e comprar um maior número de viagens de uma só vez através do cartão pré-pago zapping (que lhe confere uma vantagem em cada viagem que realiza: em vez dos habituais 1,40€, paga 1,25€/viagem). É o meio de transporte mais rápido mas, atenção, cobre apenas uma parte da cidade e não funciona durante 24h. O metro abre às 06h30 e encerra à 01h00. Mais informações no site do Metropolitano de Lisboa.

Autocarro. Lisboa dispõe de uma rede de autocarros bastante completa. Este transporte chega a todas as partes da cidade e funciona durante 24h (sem custos acrescidos durante a noite). O bilhete comprado a bordo tem um custo de 1,80€ e não pode ser utilizado noutros transportes mas, se se tratar de um bilhete pré comprado na estação de metro, este valor baixa para 1,40€ ou 1,25€, dependendo da modalidade escolhida (bilhete único ou zapping, respetivamente). Mais informações no site da CARRIS.

Barco. Não é possível conhecer Lisboa de barco mas pode apreciar uma viagem pelo Rio Tejo, apanhando o “Cacilheiro” com partida na estação fluvial do Cais do Sodré e com destino a Cacilhas, Almada (1,20€/viagem). Se esta opção não for do seu agrado, pode ainda apanhar os modernos barcos para o Barreiro na Estação do Terreiro do Paço (2,30€) ou ter como destino a Trafaria, partindo da estação de Belém (1,15€). Pode consultar os horários aqui.

Táxi. É uma boa forma de se mover na cidade desde que não recorra a este transporte nas horas de ponta.

Elétrico. Existem várias linhas de elétrico mas a mais conhecida é, sem dúvida, a do elétrico 28E que realiza um percurso entre Prazeres e Martim Moniz, passando por bairros tradicionais da cidade e por várias das colinas que a rodeiam. O preço do bilhete a bordo do elétrico é de 2,85€/viagem.

Dica Cool: Em Lisboa, ao contrário do que acontece noutras cidades, não existem títulos de transporte com duração de vários dias. Porém, um bilhete combinado de metro/autocarro/elétrico com duração de 24h tem um custo de 6€ (com o acréscimo de 0,50€ pela compra do cartão reutilizável) e permite-lhe conhecer a cidade de uma ponta à outra. O número de viagens é ilimitado e as 24h contam a partir da primeira viagem validada.

Lisboa Cool | Kit de Sobrevivência

Gorjeta

Em Lisboa a gorjeta é deixada ao critério do cliente e não está incluída na fatura. Se quiser deixar uma gratificação pelo serviço prestado, saiba que esta depende apenas da sua vontade e disponibilidade.

WI-FI

Lisboa não dispõe de WI-FI grátis, porém, quase todos os estabelecimentos têm uma rede acessível a todos. Não se preocupe, terá acesso à Internet na maior parte dos museus, restaurantes e cafés.

Braga Cool | Kit de Sobrevivência

Idioma

Os lisboetas falam português mas a grande maioria da população sabe comunicar em inglês. Mesmo nos bairros mais tradicionais, existem restaurantes com ementas escritas noutras línguas que não a dos seus residentes.

Eletricidade

Em Portugal, a corrente elétrica é de 220 Volts com uma tomada redonda de dois pinos. Se no seu local de residência as características da corrente são diferentes, irá necessitar de um adaptador e/ou transformador.

Lisboa Cool | Kit de Sobrevivência

Moeda

Portugal entrou para a União Europeia em 1986 e começou a utilizar o Euro em 2002. Nenhuma outra moeda é aceite no país mas existem pontos de câmbio no aeroporto e no centro de Lisboa, sendo que alguns estabelecimentos hoteleiros também oferecem esse serviço.

Dica Cool: se utiliza uma moeda diferente, calcule as conversões com a ajuda deste site.

Clima

O clima em Portugal é ameno. Lisboa, que se localiza no centro do país, tem cerca de 11 horas de sol diárias nos meses de Verão e temperaturas relativamente altas. No Inverno as temperaturas variam, em média, entre os 7ºC e os 14ºC e no Verão estes valores podem atingir os 30ºC.

Descontos & Poupanças

Lisboa Card. Disponibiliza três modalidades (24h, 48h ou 72h que variam entre os 18,90€ e os 39€/pessoa) e permite circular gratuitamente em todas as linhas de metro e nos autocarros, elétricos e elevadores da Carris (linha de Sintra – Rossio, Linha de Cascais – Cais do Sodré). Oferece entrada em 25 museus, monumentos e outros locais de interesse e o portador do cartão tem ainda descontos em locais e serviços de interesse turístico e cultural e lojas de artigos tipicamente portugueses.

Lisboa Eat and Shop Card. Assim como o anterior, é um cartão individual. Foi criado pela Associação de Turismo de Lisboa com o objetivo de promover a gastronomia da região e oferece descontos em mais de 100 lojas tradicionais e modernas. Custa 6€ e permite ao seu portador descobrir menus com desconto não inferior a 10% em mais de 30 restaurantes.

Lisboa Cool | Kit de Sobrevivência

Telefones Úteis

Número Nacional de Emergência (Bombeiros, Polícia e Ambulância): 112

Polícia: 213 588 300

Aeroporto: 218 413 500

Informação turística: 808 781 212

Hospitais:

Hospital Dona Estefânia: 213 126 600

Hospital Egas Moniz: 213 650 000

Hospital Santa Maria: 217 932 762

Hospital São Francisco Xavier: 213 017 351

Hospital São José: 218 841 540

Hospital São Luís: 213 216 500

Ambulâncias: 808 20 10 68

Farmácias:

Farmácia do Marquês: 213 525 048

Farmácia Marbel: 217 976 235

Farmácia Barral: 213 476 141

Farmacia Durão: 213 424 166

Farmácia Silva Carvalho: 218 873 875

Bombeiros: 213 422 222/213 924 700

Cruz Vermelha Portuguesa: 213 030 360/3

Principais zonas de Lisboa

Lisboa combina a tradição e a modernidade, está dividida em zonas e a sua essência está entranhada nos seus bairros.

Alcântara/Belém. O Padrão dos Descobrimentos, a Torre de Belém, o Mosteiro dos Jerónimos, o Museu dos Coches, o Centro Cultural de Belém, o Jardim Botânico Tropical, o Museu da Eletricidade e muitos outros monumentos icónicos situam-se na zona de Alcântara/Belém, óptima para passeios, especialmente em dias de sol e com uma vista fabulosa para o rio Tejo. Por aqui encontrará opções de visita para todos os gostos e idades e cruzar-se-á com imensos desportistas que aproveitam a marginal para correr.

Dica Cool: Aproveite para fazer um passeio à beira rio e pare para comer pastéis de Belém na casa com o mesmo nome.

Campo D’Ourique/Amoreiras. Campo de Ourique é um dos bairros com melhor qualidade de vida em Lisboa. É um bairro familiar situado entre as Amoreiras, a Estrela e os Prazeres e não fazia parte do centro da cidade até ao século XVIII. Nas suas ruas podemos encontrar lojas, pastelarias e escritórios e o seu ambiente é muito típico, apesar de reunir edifícios modernos e o atual Mercado de Campo de Ourique.

Estrela/Lapa. As famílias lisboetas mais tradicionais vivem nesta zona da cidade, conhecida pelas habitações centrais e pelo comércio ativo. A Estrela é famosa pela Basílica e pelo Jardim com o mesmo nome e reúne diversos restaurantes que servem pratos típicos à elite lisboeta ao som da música mais portuguesa: o fado.

Santos. Antigamente era uma zona industrial mas, aos poucos, foi-se transformando numa zona extremamente criativa. Próximo do Cais do Sodré, este é um bairro tendência e há até quem lhe chame o “bairro do design”, sendo que está até associado a uma marca que pretende dinamizá-lo: Santos Design District. Esta zona da cidade é conhecida pela sua vida noturna; há bares e discotecas a cada passo e ainda alguns museus, caso do Museu Nacional de Arte Antiga e do Museu da Marioneta.

Rato. É uma zona central de Lisboa e tem este nome graças a Luís Gomes de Sá e Menezes que deu a sua alcunha (Rato) ao convento que foi ali construído. Fica próxima da Estrela, do Príncipe Real e das Amoreiras e tem uma diversidade inegável de restaurantes, mini-mercados e pastelarias.

Príncipe Real. É uma zona nobre e calma, repleta de casas históricas e jardins cativantes. Um dos pontos principais do bairro é o Jardim do Príncipe Real (oficialmente apelidado de Jardim França Borges) mas existem outros pontos fortes: as esplanadas, as igrejas, os museus, os teatros e a variedade de lojas.

Bairro Alto. É apelidado apenas de “Bairro” e é uma das zonas alternativas da cidade. Galerias de arte, lojas, bares... É uma zona típica durante o dia mas, à noite, é a zona das tendências, tanto ao nível da moda como da música. É, provavelmente, um dos bairros mais diversificados de Lisboa. Restaurantes para todos os gostos existem nesta parte da cidade e as compras também não ficam esquecidas entre as suas ruas. Não é a melhor opção para alojamento uma vez que é uma área bastante ruidosa, mas é uma boa escolha para saídas, especialmente durante o fim-de-semana.

Santa Catarina/Bica. Igrejas, conventos e palácios transformam Santa Catarina naquilo que ela é: uma zona histórica onde restaurantes tradicionais coabitam com restaurantes modernos e onde os alunos das escolas artísticas vivem o seu quotidiano. Este também é um bairro que ganha vida quando o sol se põe mas o Miradouro de Santa Catarina, conhecido por Adamastor, merece uma visita antes desse acontecimento.

Chiado. É onde está o coração do comércio da capital lusitana. Reúne alguns pontos de renome, tais como o Museu Nacional de Arte ou os Armazéns do Chiado e converge em si, para além de estabelecimentos mais tradicionais, vários espaços modernos. Há muito que o Chiado se assume como a melhor zona da cidade para fazer compras e essa é talvez a sua melhor característica. Porém, se preferir uma noite cultural, o Chiado é também o seu destino pelas casas de espectáculos que apresenta.

Cais do Sodré. Quando pisamos as ruas do Cais do Sodré imediatamente nos deparamos com uma mistura de gerações, culturas e idiomas. Os lisboetas escolhem o Cais do Sodré para as suas saídas noturnas. O destaque de momento, aos olhos dos visitantes, vai para a Rua Cor-de-Rosa e para todos os restaurantes e bares que a envolvem

Avenidas Novas/Saldanha. É uma das zonas privilegiadas de Lisboa por tudo o que reúne. Edifícios premiados, lojas de renome, estufas (fria e quente) com plantas exóticas, jardins, restaurantes sofisticados, prédios de vários andares... A zona do Saldanha não só nos mostra que estamos numa capital europeia, como reforça essa ideia.

A Baixa. Os lisboetas chamam “Baixa” à zona entre a Praça do Comércio e o Rossio e é onde está o coração do comércio da capital. Reúne alguns pontos turísticos de renome, tais como o Elevador de Santa Justa e o MUDE (Museu do Design e da Moda) e converge em si, para além de estabelecimentos mais tradicionais, vários espaços modernos. Lojas, restaurantes e animadores de rua divertem os transeuntes desta zona com o bónus da vista fabulosa para o rio Tejo.

Sé/Castelo. É uma das zonas mais pequeninas da cidade mas é também uma das mais centrais e tradicionais, graças ao Elétrico 28, ao miradouro de Santa Luzia e à Sé Catedral de Lisboa. A área foi destruída pelo terramoto de 1755 mas ainda é possível ver alguns vestígios medievais. Os monumentos traduzem perfeitamente a nacionalidade portuguesa e a história da cidade.

Alfama. Alfama é um dos bairros mais famosos de Lisboa pela sua tradição e é considerado o berço do fado. É o bairro mais português e típico da cidade e, apesar de ser constituído por ruas muito estreitas e labirínticas, é um dos bairros mais fascinantes da cidade, repleto de pequenas tascas, restaurantes, cafés e miradouros que lhe darão uma perspetiva ainda mais incrível da cidade.

Parque das Nações. É a parte mais moderna de Lisboa. Sofreu remodelações significativas por causa da Expo ’98 (e por isso há quem ainda lhe chame “a zona da Expo”) mas proporciona ao visitante uma perspetiva diferente da cidade. O MEO Arena (antigo Pavilhão Atlântico) e o Oceanário de Lisboa localizam-se aqui, assim como o Pavilhão do Conhecimento.

Dica Cool: Faça uma viagem de teleférico e tenha uma vista sobre Lisboa ainda mais especial.