Entrar | Registar

Blog

lisboa_cool_comer_pasteis_de_belem60.jpg

5 CURIOSIDADES SOBRE OS PASTÉIS DE BELÉM

1. O fabrico dos Pastéis de Belém iniciou-se em 1837 e a receita mantém-se até aos dias de hoje.

No início do século XIX, em Belém, junto ao Mosteiro dos Jerónimos, havia uma refinação de cana-de-açúcar associada a uma pequena loja. Devido à revolução Liberal de 1820, todos os conventos e mosteiros portugueses foram encerrados anos mais tarde e, por consequência, todos os trabalhadores e clero foram expulsos desses mesmos locais. Numa tentativa de sobrevivência, um elemento do Mosteiro colocou à venda, nesse pequeno local de comércio, uns pastéis doces que passaram rapidamente a designar-se por “Pastéis de Belém” dada a zona onde eram vendidos e a receita original foi preservada até aos dias de hoje. Em equipa vencedora não se trocam jogadores, correto?

2. Os Pastéis de Belém são fabricados na “Oficina do Segredo”.

“Oficina do Segredo” é a sala onde se fabricam os Pastéis de Belém e tem este nome pela razão mais óbvia: a receita não é partilhada com ninguém, está patenteada e os mestres pasteleiros assinam um contrato de confidencialidade, comprometendo-se a não divulgar o modo de execução dos pastéis mais famosos do país.

3. Pastéis de Belém e Pastéis de Nata não são a mesma coisa.
Apesar dos Pastéis de Nata existirem um pouco por todo o país e de existirem versões destes doces em praticamente todas as cidades portuguesas, os Pastéis de Belém só existem em Belém e a sua receita confidencial garante uma experiência gastronómica única e inesquecível. Muita gente confunde os dois pastéis mas, apesar de semelhantes, não são a mesma coisa. Os Pastéis de Belém são os pastéis originais e ganham pontos em termos de sabor por terem sido pioneiros.

4. Todos os dias são fabricados e vendidos, em média, 20 mil pastéis.
Não é por acaso que estes pastéis são tão conhecidos. Entre turistas e residentes, estima-se que todos os dias sejam vendidos 20 mil Pastéis de Belém sendo que, em alguns fins-de-semana, este número duplica. Como resistir a uma iguaria tão portuguesa e doce?

5. “Noiva que come pastel, não tira mais o anel.”:
Diz o provérbio português que “noiva que come pastel, não tira mais o anel” e é comum ver casais recém-casados, vestidos com os trajes da cerimónia, na pastelaria mais portuguesa de Lisboa. Portugal é um país de tradições e, no dia do casamento, isso não é posto de parte. A seguir à boda, os noivos passam pelos Pastéis de Belém e deliciam-se com um doce.

#NEWYORKCOOL

#lisboacool

#lisboacool

#lisboacool

#lisboacool

#lisboacool

#lisboacool

#lisboacool

#lisboacool

#lisboacool

#lisboacool